Vida a dois

0

Para muitos casais, a vida a dois começa a partir do “sim” na cerimônia religiosa. Para outros, o compromisso se firma quando decidem morar juntos. Em qualquer dos casos, poucos casais, segundo todas as pesquisas, têm como preocupação inicial o planejamento financeiro da nova condição de vida. De acordo com Gustavo Cerbasi, um dos gurus das finanças pessoais e autor do livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, um dos principais erros que os casais cometem é não conversar sobre suas finanças. “Quando você conversa, um entende melhor as ambições do outro”, pontua Cerbasi. O segundo erro é se esforçar demais para prestar contas para a sociedade, que significa ostentar um estilo de vida incompatível com o casal. Pedro Caldas, que é presidente da Cooperativa Sicredi, também defende a ideia de conversar sobre o assunto. “É necessário conversar e discutir sobre a gestão financeira, caso contrário, a surpresa das contas do dia-a-dia pode abalar seriamente o relacionamento”, pondera Caldas.

Conta conjunta: ter ou não ter?
Uma conta conjunta de investimentos é um ótimo caminho para um futuro financeiramente confortável. Para que funcione da melhor maneira, ela deve receber aplicações dos dois cônjuges. Vale combinar um percentual para cada um ou uma fórmula pela qual o que ganha mais, poupa e investe mais. A Cooperativa Sicredi oferece interessantes condições para abertura de conta conjunta, onde o custo da cesta de relacionamento (espécie de taxas de administração) pode custar apenas R$3,00. O casal pode ter cada um, seu cartão pessoal além de um cartão para as despesas conjuntas da casa, tais como água, luz, telefone ou como criar uma aplicação para faculdade dos filhos, por exemplo. Para Pedro Caldas: “O mais relevante é que o casal saiba fazer o planejamento juntos, pensando nos sonhos de cada um e nos sonhos dos dois”, observa.

Morar em casa própria ou de aluguel?
Quem casa, quer casa, diz o velho e bom ditado. Mas, hoje em dia, a pergunta que se coloca é como atingir este objetivo: pelo imóvel próprio ou alugado? Não se trata, como pode parecer, de uma pergunta de resposta fácil. O mais certo é fazer contas detalhadas em torno da relação ganhos versus prestação. Caso ela pareça desconfortável, não será derrota nenhuma iniciar a vida pelo aluguel. Existem opções seguras oferecidas pelo Sicredi como o Consórcio Imobiliário onde é possível, por meio de planos sob medida, investir em imóveis, tendo prazos que atendem a sua necessidade. É possível conquistar o seu sonho de forma programada, através de capital próprio e sem utilização de empréstimos. Pedro comenta que há situações em que a valorização futura do imóvel justifique sua compra, mas nem sempre, comprar seja a melhor solução para o casal naquele momento.

Como organizar as despesas, manter as contas em dia e ainda economizar?
O melhor é fazer uma lista ou planilha que inclua a renda total líquida do casal, as despesas mensais e quanto vai sobrar para ser poupado. Alguns exemplos de despesas a serem incluídas: aluguel (e condomínio, se houver), parcela de financiamento ou consórcio do imóvel novo, plano de saúde, celular, internet, TV por assinatura, supermercado, água e luz, carro (financiamento, seguro ou ambos), combustível e outras despesas. Este último item deve incluir o lazer do casal, com idas a restaurantes, cinema, teatro, além de outros passeios e compras. E nunca é demais repetir: rédea curta com o cartão de crédito. Nunca deixe que as despesas extrapolem seus gastos planejados ou o limite do cartão.

Ao ter uma noção clara das despesas, o casal poderá subtraí-las da renda total para ver quanto poderá poupar por mês ou, caso não tenha sobrado nada, refazer o planejamento e aparar arestas. Gustavo Cebasi sugere um convite em seu livro: “Meu convite é para os que jovens diminuam o gasto fixo, continuem aproveitando o que motivou o casamento, como romantismo, lazer, cuidado de um com o outro, e experimentem a vida para criar condições de ganho”, conclui.
Como observado, se o casal começar a investir ainda jovem, é possível concretizar metas financeiras, preparar-se para a chegada dos filhos e realizar sonhos. Sem grandes agruras e com muita harmonia.

Compartilhar:

Deixe uma resposta