Cinto de segurança no banco de trás: por que você NUNCA deveria deixar de usar

0

Por que usar o cinto no banco de trás?

Em caso de colisão, quem está atrás sem cinto pode sofrer ferimentos graves e até mesmo matar o motorista ou o carona. Isso porque, em uma batida o corpo é arremessado para frente com uma força cerca de 50 vezes maior do que a sua massa, o que chega a equivaler ao peso de um elefante.

Além de correr o risco de ser lançada para a frente ou pelas janelas para fora do carro, a pessoa pode bater contra as partes do veículo e nos outros passageiros. O resultado de todas essas colisões é uma série de lesões na cabeça, peito, rosto, ossos e até nos órgãos internos. Dependendo da gravidade do acidente, os ferimentos são fatais.

É importante ressaltar que quanto maior a velocidade do carro, maior será a força e o impacto da batida. Por isso, além de usar o cinto em qualquer situação, é fundamental circular dentro do limite de velocidade.

IMAGEM: THINKSTOCK

O uso de segurança no banco de trás é obrigatório para crianças e adultos

A boa notícia é que tudo isso pode ser facilmente prevenido com o uso do cinto de segurança. Em um acidente, o acessório mantém o passageiro junto ao banco, diminuindo drasticamente os riscos de lesões na coluna e no tórax e protegendo todas as outras partes do corpo.

Muitas pessoas deixam o cinto de lado por acreditarem que o airbag “dá conta do recado”. Ele ajuda, mas é importante lembrar que é um acessório extra, o que significa que não foi planejado para fazer todo o trabalho sozinho. O principal responsável por proteger o passageiro e reduzir o impacto da batida ainda é o cinto de segurança.

Vale lembrar também que a ausência do cinto de segurança é infração grave, com perda de cinco pontos da carteira e multa de R$ 127,69.

Compartilhar:

Deixe uma resposta